1984, São Paulo
debonis.renata {at} gmail.com

represented by Giorgio Galotti
www.giorgiogalotti.com

BFA Boatos,

São Paulo

2015

Photos: Samuel Esteves

 

view of the exhibition | vista da exposição
06/16/2015 - How do I know you are who you say you are - branch and copy of the branch in bronze, 2015 | 16/06/2015 - How do I know you are who you say you are - galho e cópia do galho em bronze, 2015 _______________________________________________________________________________ The ghostly presence of a branch’s bronze replica put side-to-side to the original branch someway haunts or thoughts regarding mortality, memory, and presence. In like manner to the space traveled by the fall of a leaf, from branch to floor, the interval created between these two almost identical branches, portrays the breath that is life. Formally the piece also reminds the viewers of parenthesis, brackets that hold something within them, yet which in this case is unpronounced, a blank which might haunt the breath of life. The distinct materiality is also an important content of the work, where the ephemerality of the wooden branch is opposed to the monumentality and validity of the bronze branch, a contrast between our fragile constitutions and our attempts to capture and perpetuate them. _________________________________________________________________________________ A presença fantasmagórica da réplica de bronze de um galho colocado lado-a-lado ao galho original de alguma forma assombra nossos pensamentos em relação à mortalidade, memória e presença. De modo semelhante ao espaço percorrido pela queda de uma folha - do galho ao chão - o intervalo criado entre estes dois galhos quase idênticos retrata o breve suspiro que é a vida. Formalmente, a peça também lembra parênteses, colchetes que mantêm algo dentro deles, ainda que neste caso não é dito, um espaço em branco que poderia assombrar o sopro da vida. A materialidade distinta é também um importante conteúdo da obra, onde a efemeridade do ramo de madeira se opõe à monumentalidade e validade do ramo bronze, um contraste entre as nossas constituições frágeis e nossas tentativas de capturar e perpetuá-los.
Undertow,_carpet, concrete and plaster, 2015 | Ressaca_ tapete, concreto e gesso, 2015 _________________________________________________________________________________ Like the recurrent coil of spirals in nature, a rug is rolled up and placed resting beside a wall. As if were the exact opposite of the red Hollywood carpet, this rug is attempting to disappear, to occupy the least amount of space possible, yet in its act of disappearance it gets stuck in the process, in like manner to an old furniture covered by a blanket, phantom-like yet ever evident. The concrete, which casts the empty space inside the rolled up carpet, highlights the medusa-like stillness of the object that captures the unseen and unheard, a cast of the unheard, of emptiness and of the mundane. __________________________________________________________________________________ Como a forma circular recorrente de espirais na natureza, um tapete é enrolado e colocado em repouso ao lado de uma parede. Como se fosse o oposto exato do tapete vermelho de Hollywood, este tapete está tentando desaparecer, para ocupar o menor espaço possível, ainda no seu ato de desaparecimento ele fica preso no processo, de modo semelhante a um mobiliário antigo coberto por um cobertor, como um fantasma, mas sempre evidente. O concreto, que preenche o espaço vazio dentro do tapete enrolado, destaca a quietude congelada do objeto que capta o invisível e inaudível, um elenco de desconhecidos, de vazio e do mundano.
view of the exhibition | vista da exposição
Big bang bang baang bang-bang_ sea shells filled with lead and cement, cement and resin egg box, 2015 | Big bang bang baang bang-bang_ conchas preenchidas com chumbo e cimento, caixa de ovo feita de cimento resinado, 2015 _____________________________________________________________________________________ The randomly scattered shells on the floor of the exhibition space somehow transform the exhibition into an open and permeable, yet fragile, landscape, inviting the viewer to wonder through the room and examine the pieces carefully. In closer examination one can perceive that the shells themselves are filled with cement or lead, both traditional constructive and sculptural materials. This act of filling the empty space within the shells somehow mutes the breaking of the waves on the shore, an empty gesture that silences and stills the landscape in an attempt to also arrest the listener and viewer. The egg-case, which lay beside the shells and are also made of cement and resin, somehow transform the piece in a metaphysical scene (if one could attempt to recreate Giorgio de Chirico’s paintings in a space, considering the columns and the exhibition room as constituents of the piece). Finally, the piece somehow sets the pace of the exhibition as a whole, creating an atmosphere of silent arrest through contrasting materials. _________________________________________________________________________________ As conchas espalhadas aleatoriamente no chão do espaço de exposição de alguma forma transformam o espaço em uma paisagem aberta e permeável, ainda frágil, convidando o espectador a se movimentar pela sala e examinar as peças com cuidado. Em um exame mais detalhado pode-se perceber que as próprias conchas são preenchidas com cimento ou chumbo, ambos materiais construtivos e usados na esculturas tradicionais. Este ato de preencher o espaço vazio dentro das conchas de alguma forma silencia a quebra das ondas na costa, um gesto que silencia e acalma a paisagem em uma tentativa de também prender o ouvinte e espectador. A caixa de ovo ao lado das conchas é também feita de cimento e resina, e de alguma forma transforma a peça em uma cena metafísica (poderíamos tentar recriar pinturas de Giorgio de Chirico em um espaço, considerando as colunas e sala de exposição como constituintes da peça). Finalmente, a peça de alguma forma define o ritmo da exposição como um todo, criando uma atmosfera de prisão silenciosa através de materiais contrastantes.
Platform_ concrete, pecan and lead ball, 2015 | Estrado_ concreto, noz pecan e bola de chumbo, 2015 _________________________________________________________________________ The piece Platform, uses the common architectural practice of using wooden slates as molds for concrete pouring, in order to create a painting-like contrast between natural elements and synthetic materials. Such contrast is highlighted by the presence of two spheres in the top left corner of the piece; one is a natural tree nut, while the other, a sphere of lead. The apparently pictorial unbalance created by the placement of the spheres points to the unbalancing of these elements, disrupting the seemingly contemplativeness created by the horizontal lines casted by the cement due to the horizontal wooden boards. ___________________________________________________________________________ A peça Estrado utiliza a prática arquitetônica comum de usar chapas de madeira como moldes para derramamento concreto, a fim de criar um contraste pictórico entre elementos naturais e materiais sintéticos. Tal contraste é realçado pela presença de duas esferas no canto superior esquerdo da peça; uma é uma noz de árvore natural, enquanto que o outro, uma esfera de chumbo. O desequilíbrio aparentemente pictórico criado pela colocação das esferas aponta para o desequilíbrio destes elementos, interrompendo a aparentemente contemplação produzida pelas linhas horizontais fundidas por o cimento devido às placas de madeira horizontais.
Castaway _ turned on radio tuned on a news station buried on the ground, 2015 | Naufrágio _ rádio ligado e sintonizado em canal de notícias enterrado sob o chão, 2015 ____________________________________________________________________________ The act of burying a working radio-player and leaving its antenna functioning and observable in the exhibition space somehow simultaneously mutes and reveals the invisible frequencies around us (and consequently the content they carry within their signals). The fact that the radio is buried, yet faintly listenable if one decides to get on his knees and point his or her ear towards the floor, depicts the lack of information which constitutes our world, from virtual to physical structures, all is contaminated, all is informed, even that which is submerged. The work also alludes to a wrecked ship, buried on the sand while being repetitively washed by the waves of the sea, an image of silence, yet loud and violent. ______________________________________________________________________________ O ato de enterrar um rádio a ligado e deixar sua antena aparente no espaço de exposição de algum modo simultaneamente silencia e revela as freqüências invisíveis (e, consequentemente, o conteúdo que eles carregam dentro de seus sinais) ao redor. O fato de que o rádio está enterrado, porém ainda fracamente audível se alguém decidir ficar de joelhos e apontar sua orelha em direção ao chão, retrata a falta de informação que constitui o nosso mundo, do virtual a estruturas físicas, tudo está contaminado, tudo é informado, até o que está submerso. O trabalho também faz alusão a um navio naufragado, enterrado na areia ao ser repetidamente lavados pelas ondas do mar, uma imagem de silêncio, ainda que alto e violento.
view of the exhibition | vista da exposição
Two Nights _ diptych_ one painting of the color of the sky in the night before the opening and a painting of the color of the sky in the night after the closure of the same exhibition, 2015 | Duas noites_ díptico_ Uma pintura da cor do céu da noite anterior `a abertura da exposição e uma pintura da cor do céu da noite posterior ao encerramento da mesma exposição_ óleo e cera sobre linho_ 24 X 30 cada_2015 _________________________________________________________________ The diptych Two nights, which consists of two canvas made in distinct dates of the sky of São Paulo at night, attempts to capture the spatial and temporal interval between two specific dates. The first canvas was painted on the night before the opening of the exhibition, while the second canvas portrays the night after the last day of the exhibition. This waiting process between both images highlights the space between events, such as the night itself that inhabits the interval between the setting and the rising sun. A pictorial suspension and expectation is triggered on the viewers gaze by the physical absence of the second painting, which during the exhibition was yet to be painted. Such suspension establishes a contemplative gaze to the viewer who attempts to imaginatively paint the second canvas himself. _______________________________________________________________________ O díptico Duas Noites, que consiste em duas telas feitas em datas distintas do céu de São Paulo durante a noite, tenta capturar o intervalo espacial e temporal entre duas datas específicas. A primeira tela foi pintada na noite antes da abertura da exposição, enquanto que a segunda tela retrata a noite após o último dia da exposição. Este processo de espera entre as duas imagens destaca o espaço entre eventos, como a própria noite que habita o intervalo entre o ambiente e o sol nascente. Uma suspensão pictórica e de expectativa é disparado sobre os espectadores ao captar a ausência física da segunda tela, que durante a exposição se encontra crua. Tal suspensão estabelece um olhar contemplativo para o espectador que tenta imaginativamente pintar a segunda tela si mesmo.
Slepper V_ plaster, 2015 | Dormente V, gesso, 2015