1984, São Paulo
debonis.renata {at} gmail.com

represented by Giorgio Galotti
www.giorgiogalotti.com

Renata De Bonis (1984, São Paulo, Brazil)

 

My on-going research revolves around the concerns of overlapping distinct times and their respective contents, such as the almost unperceived geological time and the fast-paced time of mundane affairs. In like manner I am interested in highlighting the paradox that inhabits the relationship of contemporary society with and within nature and its surrounding landscape, in an attempt to generate awareness towards the aesthetic and political potency present in diminutive experiences and in a less immediate and competitive perception of reality. This train of thought and inquiry reflects upon the choice of materials I utilize to enunciate and substantiate such concerns, which goes from appropriation of natural objects, such as found branches, drifting seaweeds, sunlight, and rocks, to the usage of materials related to civil construction such as plaster, concrete, iron, and lead, as well as a myriad of everyday objects. The dialectic concerning sound and silence, and its materialization into perception is also a key component of my latest installations, generating materiality and contemplation through a distinct perceptive process. In my work there’s a need to give attention to the apparently invisible, forgotten and insignificant, as a channel for reflection amidst the immediacy of our accelerated lifestyles. For quite some time my practice has highlighted a simultaneously necessary and contradictory correspondence between anthropocenic and naturally misanthropic vectors, an attempt to juxtapose escapist personal desires and the urgency to be critically outspoken in regards to the status of humanity in relationship to the native environment, such correspondence can be seen throughout my sculptural practice as well as in sound-pieces that investigate imageless sublime landscapes and aesthetic-ecologies, which is the case of my on-going project that captures the specific sounds of the exact landscapes portrayed by the romantic German artist Caspar David Friedrich in the XIX century, in their contemporary contexts.

 

Recent solo exhibitions include: Aurora, at Giorgio Galotti, Turin (2017) ,to fill the interlude without breaking it, at BFA Boatos Gallery, Sao Paulo (2015), Norte, part of the Exhibition Program of Centro Cultural São Paulo, Sao Paulo (2014), Suíte, Coletor, São Paulo (2014).

Recent group exhibitions include3a Bienal de Montevideo, Montevideo, (2016), Der Kula Ring, Eigenheim Galerie, Weimar (2016), Arte Atual Festival, Instituto Tomie Ohtake (2016), Esforço-Desempenho, Galeria Athena Contemporânea, Rio de Janeiro (2016) , 1(um), BFA Boatos, São Paulo (2015), Narrativas Poeticas, Museu da Lingua Portuguesa, São Paulo (2015), and Os Primeiros Dez Anos, Instituto Tomie Ohtake , São Paulo (2011).

Since 2009 De Bonis has been selected to several artist residencies in Iceland, USA, Brazil, Germany, Italy and England. In 2015 she recieved a grant to investigate the landscapes painted by Caspar David Friedrich, at the Künstlerhaus Lukas artist residency in Germany. She is also featured in the book Pintura Brasileira Séc XXI (Brazilian Painting 21st Century) by Cobogó publishing house.

 

Renata De Bonis (1984, São Paulo, Brazil)

 

Minha pesquisa em andamento gira em torno das preocupações de sobreposição de tempos distintos e seus respectivos conteúdos, como o tempo geológico quase ignorado e o ritmo acelerado dos assuntos mundanos. Da mesma forma, estou interessada em destacar o paradoxo que habita a relação da sociedade contemporânea com e dentro da natureza e sua paisagem circundante, na tentativa de gerar consciência para a potência estética e política presente em experiências diminutas e em uma percepção menos imediata e competitiva da realidade. Este curso de pensamento e inquérito reflete sobre a escolha dos materiais que utilizo para enunciar e fundamentar tais preocupações, que vão da apropriação de objetos naturais, tais como galhos encontrados, algas à deriva, luz solar e rochas, ao uso de materiais relacionados à construção civil, como gesso, concreto, ferro e chumbo, bem como uma miríade de objetos cotidianos. A dialética relativa ao som e ao silêncio e sua materialização na percepção também é um componente chave das minhas instalações mais recentes, gerando materialidade e contemplação através de um processo perceptivo distinto. No meu trabalho, é necessário dar atenção ao aparentemente invisível, esquecido e insignificante, como um canal de reflexão em meio ao imediatismo de nossos estilos de vida acelerados. Durante algum tempo, minha prática destacou uma correspondência simultaneamente necessária e contraditória entre vetores antropocênicos e naturalmente misantrópicos, uma tentativa de justapor os desejos pessoais escapistas e a urgência de franqueza crítica em relação ao status da humanidade em relação ao ambiente nativo. Tal correspondência pode ser vista em toda a minha prática escultural, bem como em peças sonoras que investigam paisagens sublimes e estéticas ecológicas, que é o caso do meu projeto em andamento que capta os sons específicos das paisagens exatas retratadas pelo artista alemão romântico Caspar David Friedrich no século XIX, em seus contextos contemporâneos.

As exposições individuais recentes incluem: Aurora, em Giorgio Galotti, Turim (2017), preencher o interlúdio sem quebrá-lo, na Galeria BFA Boatos, São Paulo (2015), Norte, parte de Programa de Exposição do Centro Cultural São Paulo, São Paulo (2014), Suíte, Coletor, São Paulo (2014).

As exposições coletivas recentes incluem3a Bienal de Montevidéu, Montevidéu, (2016), Der Kula Ring, Eigenheim Galerie, Weimar (2016), Festival Arte Atual, Instituto Tomie Ohtake (2016), Esforço-Desempenho, Galeria Athena Contemporânea, Rio de Janeiro (2016), 1 (um), BFA Boatos, São Paulo (2015), Narrativas Poeticas, Museu da Lingua Portuguesa, São Paulo (2015) e Os Primeiros Dez Anos, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo (2011).

Desde 2009, De Bonis foi selecionada para várias residências de artistas na Islândia, EUA, Brasil, Alemanha, Itália. Em 2015, recebeu uma bolsa para investigar as paisagens pintadas por Caspar David Friedrich, na residência do artista Künstlerhaus Lukas na Alemanha. Ela também é destaque no livro Pintura Brasileira Séc XXI (Pintura Brasileira do século 21) pela editora Cobogó.

 

Education  | Formação

Universidade Estadual Paulista (UNESP) - Sao Paulo, Mestrado/MFA 2016-

Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP)- Sao Paulo, Bacharelado/BFA 2002 -2006 

Mapeamento Sonoro - Centro de Pesquisa e Formação, SESC - Sao Paulo,  2015

 

Residencies | Residências

2017- Cripta 747, Turin, Italy

2016- Pivô  Arte Pesquisa, São Paulo, Brazil

2015- Künstlerhaus Lukas, Ahrenshoop, Germany (holder of a  scholarship exchange program)

2014 -Red Bull Station, Sao Paulo, Brazil

2013 - NES, Skagastrond, Iceland

2009 - JTHAR, Joshua Tree Desert, California, USA

 

Solo Exhibitions  | Exposições individuais

2017 - Aurora, Giorgio Galotti, Turin, Italy

2016 - {obra pública permanente}  Eleva-se | distante do solo - Jardim Vertical, Movimento 90, Minhocão, São Paulo, SP

2015 - , to fill the interlude without breaking it, ( , preencher o interlúdio sem quebrá-lo, ) BFA Boatos, São Paulo, SP

2015 - Mapping Continents, Lamb Projects, London, England

2014 -  Suíte, Coletor, São Paulo, SP

2014 - Norte, Programa de Exposicoes do Centro Cultural Sao Paulo - CCSP, São Paulo

2014 - Uma Pedra por Dia, Galeria Laura Marsiaj  -Rio de Janeiro, RJ

2013 - Norður, Gútto Space - Saudarkrokur, Iceland 

2012 - Modos de atravessar o deserto, Galeria Moura Marsiaj , Sao Paulo, SP

2011 - The Damage Done, Galeria Laura Marsiaj  Rio de Janeiro, RJ

2011 - Lost Horse, Galeria Oscar Cruz , Sao Paulo, SP

2010 - Old Country, Paço Municipal de Porto Alegre, RS

2010 - Harvest Memories, Anexo da Galeria Laura Marsiaj, Rio de Janeiro, RJ

 

Group Exhibitions | Exposições Coletivas

2017- Discretion, curated by Sam Korman, BFA Boatos Fine Arts, São Paulo, SP

2017- Elogiamos a casa que se abre a perder de vista, curated by Mario Gioia, Galeria Bolsa de Arte, São Paulo, SP

2017- How to Remain Silent?, curated by Juliana Caffé, A4 Arts Foundation, Cape Town, South Africa

2017- FONDANTE, organized by Giorgio Galotti, text by Germando Dushá, Museo Della Frutta, Turin, Italy

2017- Paisagens Intermitentes, curated by Thais Gouveia, Casa Nova Arte, São Paulo, SP

2017- Um Piano na Selva, curated by Germano Dushá, Periscópio Arte Contemporânea, Belo Horizonte, MG

2017- Paisagens Intermitentes, curated by Thais Gouveia, Hilo Galeria, Buenos Aires, Argentina

2016- 3a Bienal de Montevideo, Montevideo - Uruguay

2016- Singapore International Festival of Arts, Singapore, Singapore - Singapore

2016 - The Kula Ring, curated by Alfons Hug, Eigenheim Galerie/Goethe Institute, Weimar - Germany

2016 - Arte Atual Festival, curated by Paulo Miyada and Olivia Ardui,  Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, SP

2016- Esforço-Desempenho, curated by Germano Dushá, Galeria Athena Contemporânea - Rio de Janeiro, RJ

2015 - Hipótese e Horizonte, Observatório, São Paulo, SP

2015 - 1 (um), BFA - Boatos Fine Arts, Sao Paulo, SP

2014 - Narrativas Poéticas, Museu da Língua Portuguesa, São Paulo, SP

2013 - Post | Kamikaze, Reykjavik, Iceland
2013 - Narrativas Poéticas,  Santander Cultural, Porto Alegre, RS and Museu Inimá de Paula, Belo Horizonte, MG
2013 - Tinta Fresca, Galeria Transversal , São Paulo, SP

2012 - Mutatis Mutandis, Galeria Moura Marsiaj, São Paulo
2012 - Arte e Cinema pelos Posters, MIS- Museu da Imagem e do Som, São Paulo, SP
2012 - A Nova Pintura, Espaço Cultural Santander, São Paulo, SP

2011 - Os primeiros dez anos, Instituto Tomie Ohtake, São Paulo, SP
2011 - A Sangue Frio, curated by Jacopo Crivelli Visconti, Galeria Moura Marsiaj, São Paulo, SP
2011 - Salão Unama de pequenos formatos, Belém, PA
2011 - Programa de Exposições 2011, MARP Ribeirão Preto, SP

2010 - Incompletudes, curated by Mario Gioia, Galeria Virgílio  - São Paulo, SP
2010 - SPLIT, Renata De Bonis e Marcos Brias, Quina Gallery, Belo Horizonte, MG
2010 - Tinta fresca, Galeria Mariana Moura , Recife, PE

2009 - Prêmio EDP - Energias na Arte: curated by  Agnaldo Farias, João Pinharanda, Eduardo Brandão- Instituto Tomie Ohtake- São Paulo, SP
2009 - A nova pintura - Nouvelle Vague, curated by Jacopo Crivelli Visconti, Galeria Laura Marsiaj - Rio de Janeiro, RJ

2008 - 3 artistas: Renata De Bonis, Rodrigo Bivar e Rafael Carneiro, curated by Rodrigo Andrade, Galeria Marilia Razuk, São Paulo, SP
2008 - Renata De Bonis e  Ana Elisa Egreja, Encontros com arte- Pintura Contemporânea, Escola São Paulo, São Paulo, SP
2008 - Grupo  2000 e 8, curated by Paulo Pasta, SESC Pinheiros, Sao Paulo, SP
2008 - Grupo 2000 e 8, Museu Victor Meirelles, Florianópolis,  Santa Catarina

2007 - 11o Salão de Arte Contemporânea de São Bernardo do Campo, SP
2007 - 35o Salão de Arte Contemporânea Luiz Sacilotto, Santo André, SP (Aquisition prize);
2006 - 4 Pintores - Marcos Brias, Rodolpho Parigi, Renata De Bonis and Rodrigo Bivar, Casa 4, curated by Paulo Pasta, São Paulo, SP